Divulgação ampliada da "Semana Cultural - MS EM CENA - 6.ª Representação - 2012" que ocorrerá em Três Lagoas/MS de 09 a 18 de Novembro


Divulgamos a PROGRAMAÇÃO do Evento "Semana Cultural - MS EM CENA - 6.ª Representação" , com todos os detalhes abaixo, mais algumas imagens, que será desenvolvido em Três Lagoas no período de 09 à 18 de Novembro próximo, com entrada franca a toda a população, sendo que o mesmo é uma idealização do Grupo de Teatro Identidade, da Prefeitura de Três Lagoas através do Departamento de Cultura e da Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS, com investimento do Fundo de Investimentos Culturais – FIC, da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul – FCMS, do Governo do Estado de Mato Grosso do Sul.

PROGRAMAÇÃO DETALHADA

09h (Sábado - 03/11)
ARRASTÃO DE SOMBRAS
Grupo de Teatro Identidade – Três Lagoas/MS
Local: Área Central de Três Lagoas
Sinopse: O “Arrastão de Sombras” priorizará a divulgação do evento e oportunizar momentos de descontração à população três-lagoense, bem como criar a interação entre os protagonistas cênicos com as pessoas em geral, por meio da ludicidade teatral, fazendo despertar a consciência do ator/atriz e cativar o interesse teatral no público.

  • SEXTA – 09/11
19h30min
“ABERTURA DO EVENTO”
Local: Anfiteatro da UFMS – Unidade I

20h30min
“OS CORCUNDAS”
Circo do Mato – Grupo De Artes Cênicas – Campo Grande/MS
Local: Anfiteatro da UFMS – Unidade I                        Gênero: Teatro Medieval
Direção: Breno Moroni                                       Classificação: 7 Anos
Autor do Texto: Breno Moroni
Elenco: Aline Duenha e Mauro Guimaraes
Sonoplastia: Laila Pulcherio                               Iluminação: Yago Garcia
Figurino: Circo Do Mato E Breno Moroni           Maquiagem: Circo Do Mato
Duração: 50min

RELEASE: Dentre várias ações culturais realizadas pelo Circo do Mato, acontece a Pantalhaços – Mostra de Palhaços do Pantanal, com apresentações de espetáculos e oficinas voltadas para a arte do palhaço/ator. Em sua 3ª edição, trouxe o artista brasileiro, então residente na europa, Breno Moroni, que ministrou a oficina “O Palhaço de Picadeiro”; dentre inúmeras atividades artístico/culturais, Breno também é autor e diretor teatral. À partir desse encontro surgiu a vontade do diretor de realizar uma montagem com o grupo. O grupo, que já vem desenvolvendo trabalhos com diretores convidados, aceitou o convite, e em quinze dias de trabalhos intensos realizou a pré-estreia do espetáculo “Os Corcundas”, no evento Roça de Paz dos “Poetas Del Mundo”, ocorrido em 15 de janeiro deste. Apesar do curto espaço de tempo, a objetividade e o profissionalismo da equipe fizeram com que o espetáculo agradasse e comovesse a plateia desta primeira apresentação. A simplicidade do tema abordado em “OS CORCUNDAS”, bem como a linguagem universal (pantomima e gromelô) são elementos que tornam esse espetáculo um convite a um belo passeio pelo universo fantástico da imaginação, agradando tanto crianças quanto adultos. É, sem dúvida, uma obra para todas as idades.
SINOPSE: Uma pantomima que conta a saga de dois corcundas errantes: ele, o Corcunda, simpático, feio e puro! Como um cão, tenta ser amigo, mas, tem medo dos homens! Ela, a Corcunda, é feia e brincalhona. Esperta como um macaco, não percebe a opinião ou lógica das pessoas. Depois de caminharem pelo mundo, sem nada para vender ou comprar, são arrebatados por um amor sincero, avassalador, verdadeiro, engraçado e puro. Um espetáculo que diverte e emociona!

  • SÁBADO – 10/11
10h
“HISTÓRIA DE ALGUÉM PARA NINGUÉM”
Flor da Rua - Marília/SP
Local: Feira – Av. Rosário Congro              Gênero: Teatro de rua
Direção: Fátima Campidelli                       Classificação: Livre
Autor do Texto: Baseado no texto de Ilo Krugli – Alguém Ninguém
Elenco: Paula Dyonisio, Daiane Périco, Thais Bueno, Valquiria Meneguel, Glauber Comanecci, Fátima Campidelli, Valcir Silva, Jaqueline Francisco, Karina Araújo
Música Original: Valquiria Meneguel – composição e música
Sonoplastia: O grupo                                Cenário: João Moraes
Figurino: O grupo                                     Maquiagem: Lucas de Montecarlo
Duração: 50 minutos

RELEASE: O grupo Flor da Rua, fundado no município de Marília –SP, no ano de 2010, tem como vocação a arte popular, quer seja na forma teatral ou musical. E para esta montagem, demos ênfase às brincadeiras com cantigas de roda, festas populares e possibilidades de unir uma história com participação do público, num espetáculo que pode ser feito na rua ou em espaços fechados. O resultado destas vivências nos levou às temáticas do grupo de teatro Vento Forte, e, unindo nossos sonhos, escolhas, desejos e acasos nos deparamos com este texto, que há tempos estava na gaveta; Ilo Krugli nos havia oferecido e tinha tudo haver com o que pretendíamos num espetáculo: possibilidades para poesias e músicas. As músicas, de autoria de Valquiria Meneguel, atriz, música e compositora mariliense, ajudaram a dar mais ritmo ao texto, utilizando diversos elementos da cultura popular, muitas daquelas aprendidas na infância. A peça agrada tanto crianças como adultos, transformando o espetáculo numa grande ciranda.
SINOPSE: História de alguém para ninguém é uma brincadeira, onde um grupo de palhaços se divertem e brincam com o público até a chegada do diretor, que deve escolher o ator principal para vivenciar a história a ser representada. A partir daí, um homem confundido com um ator, experimenta as aventuras de um soldado. O Diretor é um homem autoritário que propõe aventuras. Este ator, por acaso, vai participar de vários encontros, descobrindo a amizade, o amor e alguém. Acasos que podem mudar a sua vida ou apontar novos caminhos para que ele possa escolher o seu próprio jeito de viver.

17h
“RETIRANTES” (Programação Complementar)
Grupo de Teatro Identidade – Três Lagoas/MS
Local: Praça da Bíblia – Em frente à Rodoviária  Gênero: Teatro de rua
Direç
ão: Leandro Cazula                                             Classificação: Livre
Autor do Texto: Criação Daniel Dhemes com Adaptações do Grupo de Teatro Identidade
Elenco: Carol Feliciano, Cassio de Sousa, Cristina de Freitas, Helia dos Santos, Jajá Ribeiro, Jaqueline França, Leandro Cazula e Odair Alves.
Sonoplastia: O grupo                                                  Iluminação: O grupo
Figurino: O grupo                                                        Maquiagem: O grupo
Duração: 40 minutos

Release: O Núcleo Adulto, da Escola Municipal de Teatro, e Grupo de Teatro Identidade iniciaram as atividades em abril de 2011 com oficinas de inserção e formação teatral. A partir do segundo semestre, iniciaram os estudos do espetáculo de rua “Retirantes”, do autor Daniel Dhemes de Penápolis/SP, que se manteve perante o processo de criação e representação cênica. A peça é um drama com características do Teatro Popular, retrata os desejos e utopias de um povo que anseia melhores condições de vida em lugares desconhecidos. O enredo é baseado na história de um personagem que deixa sua terra natal sonhando com uma vida melhor em uma grande cidade. No espetáculo é abordada a temática da migração temporária no Brasil, elucida-se o fator de deslocamento de pessoas que vão e voltam de um local a outro, e o processo social que eles vivem, que é o de sair e retornar. Porém, retornar para onde? Para quem? Ao retornar o migrante já não é o mesmo, e por ter que sair, nas condições em que sai, modifica as relações sociais do seu grupo de origem, altera a organização da família, a divisão do trabalho familiar, o lugar de cada um. O que encontra, quando retorna, já não é aquilo que deixou. Ele nem mesmo se reencontra porque já é outro, procurando ser o mesmo.
Sinopse: O espetáculo Retirantes retrata a necessidade que o povo tem em abandonar sua terra em busca de uma vida melhor fora do seu local de origem. Retirante é o homem que viaja de onde mora a outro lugar em busca de subsistência, fugindo das amarguras do seu local de origem. O teatro de rua trata da questão migratória, influenciada pela miséria que atinge o país. Aponta o sofrimento do povo brasileiro, e suas aflições na busca de novos horizontes que nem sempre são concretizados devido às questões sociais e econômicas que permeiam a nossa sociedade.

20h30min
“A ROSA, ROSA”
Grupo Teatral Trupe Kei – Paraguaçu Paulista/SP
Local: Anfiteatro da UFMS – Unidade I               Gênero: Drama
Direção: Samira Soares de Moura             Classificação: 12 Anos
Autor do Texto: Danilo Salomão Simões
Elenco: Danilo Salomão Simões, Samira Soares de Moura, Roseli Martins Domingues.
Música Original: Danilo Salomão Simões, Samira Soares de Moura
Sonoplastia: O grupo                                Iluminação: ADRIANO RAMOS STERN
Cenário: Adriano Ramos Stern                 Figurino: O grupo
Maquiagem: O grupo                                Duração: 55 minutos

RELEASE: após viajar pelo universo da psicologia infantil com seu premiado espetáculo “A Menina e o Menino”, a Trupe Kei agora com seu novo espetáculo “A Rosa, Rosa”, pretende tocar o público com um espetáculo mais profundo e silencioso. Com texto e músicas originais “A Rosa, Rosa” trata de encontro e desencontro, de amor e desamor, de dor, de mágoa, de perdão e de espera... A espera pelo amor que se foi e nunca volta. A sensibilidade é o foco principal desta história que envolve seres humanos e seres da natureza em uma praça onde se ouve até coração batendo. Então se acomode, respire fundo e deixe a sua emoção escapar do seu corpo em forma de lágrimas.
SINOPSE: A rosa caiu no chão / E o poeta perdeu a inspiração. / Dizem que as rosas não tem coração / E que os poetas trabalham com a emoção. / Mas a nossa história / Abusa da imaginação, / E inverte os versos dessa canção / Pois aqui, a rosa é cheia de emoção / E o poeta parece ter pedras no coração. / Acalma teu coração / E feche os olhos da razão, / Pra você poder ouvir, a história dessa triste paixão.

  • DOMINGO – 11/11
15h
“CIRANDA DAS FLORES”
Cia Prosa dos Ventos – São Paulo/SP
Local: Anfiteatro da UFMS – Unidade I                        Gênero: Musical Infantil
Direção: Fabio Brandi Torres                             Classificação: 2 Anos
Autor do Texto: Helena Ritto, Fábio Brandi Torres
Elenco: Cristiano Gouveia, Elcio Rodrigues e Helena Ritto.
Música Original: Helena Ritto e Cristiano Gouveia
Iluminação: Elcio Rodrigues
Cenário: Helena Ritto, Elcio Rodrigues e Fábio Brandi Torres
Figurino: Helena Ritto, Elcio Rodrigues             Maquiagem: O grupo
Duração: 45 minutos

RELEASE: CIRANDA DAS FLORES é um espetáculo colorido e recheado de cantigas e brincadeiras. Dois atores e um músico contam a história de uma Jardineira e um Semeador, que moram em Ciranda das Flores, um jardim fantástico onde flores e temperinhos vivem aventuras. O espetáculo já foi apresentado em diversas unidades do SESC, na Virada Cultural, Recreio nas Férias e representou o Brasil em Portugal, com apresentações em 14 cidades de várias regiões. O espetáculo recebeu indicação de melhor trilha sonora em 2010, no Prêmio Femsa de Teatro e ganhou alguns prêmios - Melhor espetáculo infantil, Texto, Ator, Atriz, Cenário, Música, entre outros – pelos festivais que passou. No elenco Helena Ritto e Cristiano Gouveia, ambos apresentadores do programa infantil QUINTAL DA CULTURA NA TV CULTURA. CONTANDO A HISTÓRIA DO GRUPO: Era uma vez, há muito, muito tempo atrás, lá em 2001, alguns profissionais com uma longa experiência teatral que se uniram com o propósito de realizar espetáculos baseados em uma pesquisa de dramaturgia voltada ao público infantil, realizando espetáculos como Golayos & Salayos - A Matéria dos Sonhos - Ciranda dos Pássaros - Pierrô, Confete e Serpentina - Ciranda das Flores e Cinderela, Bela Magrela. A partir de 2003, esse trabalho foi estendido à área de Contação de Histórias, desenvolvendo a Brincação e experimentando a Narração. Com o trabalho realizado em escolas bilíngües (português-inglês), a Storytelling também passou a fazer parte desse repertório. Como a música sempre teve um papel fundamental em todos esses trabalhos, essa área passou a contar com uma atenção especial, criando-se trabalhos como Balaio de Poesias, Em Cantadores e Cantação de Histórias, onde ela é o ponto de partida de toda a criação.
SINOPSE: Uma jardineira e um semeador trabalham juntos, sem coragem de declarar seu amor um para outro. Um dia, acabam brigando por causa de um cacto. A partir daí, muitas surpresas e muitos mistérios acontecem, misturando sonho e realidade.

20h30min
“[ERRANTES] (TITULO PROVISÓRIO)”
GTT- Grupo Teatral Ta’lento/Fábrica das Artes – Americana/SP
Local: Anfiteatro da UFMS – Unidade I               Gênero: Tragicomédia
Direção: Tiago Luz                                             Classificação: 14 Anos
Autor do Texto: Erico Gomes
Elenco: Juliana Gobbo,Marcelo Porqueres,Otavio Delaneza
Música Original: Erico Gomes                            Sonoplastia: Erico Gomes
Iluminação: Tiago Luz                                        Cenário: Otavio Delaneza
Figurino: Otavio Delaneza                                  Maquiagem: Juliana Gobbo
Duração: 60 minutos

RELEASE: Fruto do projeto GTT 15 anos em Cena, financiado pelo Fundo Municipal de Cultura de Americana, o espetáculo Errantes – título provisório surgiu da proposta de unir em torno do projeto personalidades que marcaram história dentro do grupo, desde sua fundação. A partir de leituras e estudos do texto “Hamlet”, de Willian Shakespeare chegou-se a três figuras: um rapaz, uma mulher e um homem. A partir desse núcleo, que ora remete a condição familiar, ora a situações cotidianas, criou-se o texto original da peça em processo colaborativo tendo como ponto de partida improvisos teóricos e provocações do diretor, onde todos escreviam, tentando traduzir em palavras os desejos e temas a serem levados à cena. Aos atores, era preciso ainda se dedicar à pesquisa de interpretação e encontrar no treinamento de ‘Viewpoints’ algumas respostas para seu processo de trabalho.Ao Público coube nas discussões, que foram abertas com as oficinas especificas sobre a montagem, debater e propor novas possibilidades ao trabalho.
SINOPSE: A peça fala da experiência grotesca da desesperança, levando três figuras a terem posturas diferentes diante de situações parecidas. As atitudes mostram que as palavras já não servem para absolutamente nada, quando o último desejo é andar sem destino certo.

  • SEGUNDA-FEIRA – 12/11
15h
“PLANETA AZUL CELESTE” (Programação Complementar)
Escola Municipal de Teatro – Núcleo Crianças e Adolescentes – Três Lagoas/MS
Local: Anfiteatro da UFMS – Unidade I                        Gênero: Infantil
Direção: Carol Feliciano e Tatiana Mizobe                   Classificação: Livre
Autora: Tatiana Mizobe
Elenco: Alessandro Nunes, Anna Lethycia Lira, Ana Luísa Bortolanza, Amanda Alcamim, Beatriz Alves, Emiliana Zechi, Guilherme Nogawa, Izabela Furtan, Hanna Monteiro, Joana Meneguim, Juliane Alba, José Orestes Zechi, Karina Souza, Laura Machado, Laura Berti, Lavinia Bispo, Lorena Alonso, Maria Dias, Milena Mantovani, Maira, Naiara Santarosa.
Maquiagem: O Grupo                      Figurinos, Adereços, Sonorização: O Grupo
Duração: 50 minutos

RELEASE: O Núcleo Crianças e Adolescentes, da Escola Municipal de Teatro e Grupo de Teatro Identidade, iniciaram as atividades em abril de 2012 com oficinas de inserção e formação teatral. A partir do segundo semestre, iniciaram-se os estudos do espetáculo “Planeta Azul Celeste”, da autora Tatiana Mizobe/MS, que se manteve para o processo de criação e representação cênica, sob a direção de Carol Feliciano e Tatiana Mizobe. O enredo é baseado na história de uma garota que certo dia é levada a conhecer outro planeta. O espetáculo aborda a temática do meio ambiente, do amor e respeito pelos seres vivos.
SINOPSE: O espetáculo retrata de forma lúdica e divertida a aventura da menina Nádia, que é levada a embarcar em uma viagem ao Planeta Azul Celeste, com a missão de salvar os dois mundos. Ela, como única representante da Terra, descobre que terá de enfrentar um terrível rei. O destino do planeta terra e de todos os seres humanos estará em suas mãos.

20h
“PALHAÇO FOFINHO E HECTOR BOMBOM EM UMA AULA DE TEATRO” (Módulo Fomento)
Os pregadores do Riso – Araçatuba/SP
Local: Praça Ramez Tebet – Centro            Gênero: Rua
Direção: Flávio Estevão                             Classificação: Livre
Autor do Texto: Flávio Estevão
Elenco: Flávio Estevão E Marcelo Messias
Sonoplastia: Flávio Estevão                       Iluminação: Flávio Estevão
Cenário: Flávio Estevão          Maquiagem: Flávio Estevão E Marcelo Messias
Figurino: Flávio Estevão, Marcelo Messias e Fábio Reichemback
Duração: 45 minutos

RELEASE: Este Espetáculo foi inspirado na comédia de resgate à Gags tradicionais do circo, encenadas por palhaços há mais de 200 anos.  O Grupo preocupou-se para que as Gags reproduzidas sejam apreciadas na forma pura apresentando um jogo milenar de oposições onde cada espectador se coloca em um ponto da gangorra e desfruta do prazer de rir de si próprio. O Espetáculo se dá entre o jogo de dois personagens, de um lado um apresentador tentando dar orientações sobre o universo teatral e do outro um palhaço que em sua forma pura não compreende e subverte a ordem estabelecida por seu orientador. O apresentador deseja falar o que veio fazer naquele espaço enquanto o palhaço, com sua tão conformada ingenuidade, o atrapalha. E assim são conduzidas as Gags, como em um cabo de guerra cuja corda que os une é a amizade. As Gags foram criadas a partir do jogo entre o Clown Branco (a voz da razão) e o Clown Augusto (a pureza, da ingenuidade). A apresentação de um Espetáculo de Gags os atores têm a liberdade para apresentarem-se em locais alternativos como quadras de esportes, pátios de escolas, centro comunitários e praças públicas, não comprometendo em nada a qualidade do mesmo, pelo contrário, alcançando o público para o qual o espetáculo se destina. As Gags circenses é uma proposta que tem a finalidade de extrair o riso através de uma encenação simples e objetiva, com a preocupação de atender a cada apresentação uma platéia diferente formada por diferentes pessoas de diferentes idades, classes sociais e culturas.
SINOPSE: Um palhaço, um ator, uma cadeira e uma vassoura, com esses quatro elementos se dará uma viagem no tempo resgatando as antigas GAG’s de palhaços. Com o Palhaço Fofinho e o ator Hector Bombom utilizando o mote “Uma aula de Teatro”, as situações serão propostas e desenroladas, o grupo remete a platéia a real vivência do palhaço, um observador e crítico do comportamento humano, despertando gargalhadas soltas e sinceras, com o objetivo de reflexão pessoal e social.

  • TERÇA-FEIRA – 13/11
15h
“A FANTÁSTICA BATALAHA DO VIAJANTE MALTRAPILHO”
Grupo Fênix de Teatro – Tupã/SP
Local: Anfiteatro da UFMS – Unidade I                        Gênero: Infantil
Direção: Charles dos Passos                               Classificação: 5 Anos
Autor do Texto: Charles dos Passos
Elenco: Carlos Marcos Faustino, Charles dos Passos, Diego Henrique Pantaleão, Maicon Miller dos Passos, Mirian Mieko Yoshinaga
Sonoplastia: Mirian Mieko                        Iluminação: Lucas Costa Yoshinaga
Cenário: Diego Henrique Pantaleão           Figurino: Maicon Miller dos Passos
Maquiagem: Maicon Miller Dos Passos     Duração: 50 Minutos

RELEASE: O projeto traz uma proposta de trabalho baseado numa história repleta de magia, fantasia, encanto e acima de tudo, conhecimento e educação. Para a criação do espetáculo foram utilizados materiais recicláveis como meio de dar às crianças um referencial, para que possam relacionar a temática do espetáculo com o seu dia-a-dia.  Assim, sua imaginação é estimulada, contribuindo para a educação e à cultura na sua vida cotidiana. A proposta do espetáculo é exatamente essa, levar ao público infantil um trabalho de qualidade, belo, mas que sirva não só para o entretenimento, como também, contribua com a aprendizagem. O espetáculo narra, de forma encantadora, a saga fantástica de um inventor fracassado, em busca da realização de seu maior sonho, o de “ajudar a humanidade com seus inventos” – colocando em evidência a problemática hoje enfrentada pela civilização moderna, a poluição, aliada com a escassez de recursos naturais.
SINOPSE: Permeado de músicas e cores, o espetáculo transporta o público para um mundo novo, cheio de descobertas e sonhos. Onde suas pitorescas personagens, são capazes de transformar, de forma poética, o “lixo” em magia. A viagem ainda não terminou. A cada passo marcado pela alegria e pelo entusiasmo, ele ganha mais ritmo e força para chegar ao seu destino que é o coração das crianças e o imaginário dos adultos.

20h30min
“CIRCO DE QUINTAL”
Cia Teatral Amado Amado – Birigui/SP
Local: Anfiteatro da UFMS – Unidade I               Gênero: Comédia Infantil
Direção: Paulo Souza e Vagner Silva                  Classificação: 4 Anos
Autor do Texto: Vagner Gomes da Silva
Elenco: Vagner Silva
Sonoplastia: Paulo Souza                         Iluminação: Paulo Souza
Cenário: Vagner Silva             Figurino: Fátima Silva Ferreira e Vagner Silva
Maquiagem: Vagner Silva                         Duração: 50 Minutos

RELEASE: Espetáculo construído a partir de gags tradicionais de circo apresentados em formas de paródias de números circenses. Tão antiga quanto a própria história do circo e antes dos palhaços se firmarem no picadeiro como dupla, as paródias de circo já eram realizadas, introduzindo nos circos equestres a figura do personagem cômico, agindo as avessas, introduzindo o riso, aliviando as tensões e desmistificando o grau de dificuldade de alguns números. Quem comandava tudo isso era e ainda é o palhaço, o único capaz de passear de maneira grotesca e exagerada entre o sério e o visível, o trágico e o cômico, o choro da morte e o riso da vida, enfim provocar nas pessoas o riso, mas não o riso que envolve o preconceito, falta de moral ou maldade, que aprisiona, mas um riso que cura, que liberta a alma. Se o circo é a metáfora da vida, o palhaço é a alma dessa vida, afinal não é por acaso que dizem que o palhaço é a alma do circo.
SINOPSE: O palhaço Popó tenta de todas as formas garantir o espetáculo e o circo, entretanto, o que pode fazer em um circo sendo que o único artista é ele mesmo? O circo de quintal traz as tentativas atrapalhadas de um palhaço em manter o seu “circo de um só palhço”. O espetáculo é um convite ao lúdico e a forma não convencional do palhaço ver o mundo e as coisas a sua volta

  •  QUARTA-FEIRA – 14/11
15h
“CIRCO LANDO – O MAIOR ESPETÁCULO DA TERRA”
Cia. Fábrica dos Sonhos – São José do Rio Preto/SP
Local: Anfiteatro da UFMS – Unidade I                        Gênero: Comédia
Direção: Guido Caratori                                               Classificação: Livre
Autor do Texto: Guido Caratori
Elenco: Guido Caratori e Fabiano Amigucci
Sonoplastia: Milton Verderi                      Iluminação: Ricardo Matioli
Cenário: Guido Caratori                            Figurino: Drica Sanches
Maquiagem: Guido Caratori e Fabiano Amigucci         Duração: 70 Minutos

RELEASE: “Circo Lando - O maior espetáculo da terra” retrata o ambiente do circo por meio da história dos irmãos Lando. Tito Formiga Lando e Federico Formiga Lando, palhaços de formação que recebem o circo como herança do pai Adamastor Formiga Lando. Entre as idas e vindas de um e a persistência do outro, eles lutam arduamente por um sonho, um ideal, manter de pé o universo mágico e inusitado do circo, onde vivem saborosos momentos de pura fantasia, no picadeiro iluminado por uma graciosa ribalta de lâmpadas incandescentes, junto a elementos do universo circense como cortinas, baús e adereços cênicos que compõe a cena para contar a história da família Lando. A encenação lança mão de recursos tecnológicos, como o uso de projeções para os flashbacks dos irmãos e as homenagens aos artistas, que com sua história de uma maneira ou de outra nos deixaram um legado artístico, inspirando assim novos artistas, são utilizados ainda contra luzes trabalhando a linguagem de sombra, apresentando múltiplas linguagens, potencializando a ação dramática, onde as personagens desnudam seus medos e frustrações, propondo superações para manterem a tradição circense da família viva pois, “o espetáculo não pode parar ”.
SINOPSE: O espetáculo conta a história dos irmãos Lando, Tito e Federico Formiga Lando, filhos de Adamastor Formiga Lando que herdou o circo de seu pai Chico Formiga Lando, ambos são criados no circo da família e no final da adolescência início da juventude Tito assume a administração do circo e Federico vai embora para estudar no exterior. Tito mesmo com toda a atribulação do trabalho no circo nunca perdeu o contato com o irmão e sempre que necessário o socorre e o trás de volta pra casa e é exatamente nesse momento que nossa história é contada.

20h
“SALTIMBEMBE MAMBEMBANCOS”
Grupo Rosa dos Ventos – Presidente Prudente/SP
Local: Praça Ramez Tebet – Centro                     Gênero: Comédia
Direção: Coletiva                                                Classificação: Livre
Autor do Texto: O grupo
Elenco: Antônio Sobreira, Fernando Ávila, Gabriel Mungo, Luís Valente, Robson Toma e Tiago Munhoz.
Sonoplastia: Robson Toma                       Cenário: Deva Bhakta
Figurino: O Grupo                                    Maquiagem: O Grupo
Duração: 60 Minutos 

Release:
Saltimbembe Mambembancos é uma festa popular em que os palhaços se apresentam como artistas saltimbancos, formando uma roda na praça para exibir suas habilidades, músicas e divertir as pessoas. Saltimbembe é um espetáculo brincante que representa a essência da linguagem desenvolvida pelo Rosa dos Ventos, com interpretação livre de artistas cômicos populares e verborrágicos, improvisadores por opção, influenciados pelo teatro, circo, palhaço de circos pequenos e principalmente pelos artistas de rua, puladores de arco da faca, vendedores de pomadas milagrosas, telepatas e repentistas que  viajam de cidade em cidade vivendo de sua arte.
Sinopse: O espetáculo é um encontro para rir de si e das personagens, é arte de rua! As técnicas de malabarismo, acrobacias de solo e perna de pau são mostradas sem formalidades e acompanhadas por música ao vivo. O público é levado a uma época anterior ao circo itinerante, quando as artes circenses eram apresentadas por artistas saltimbancos.

23h
“ESPETÁCULO DE VOCÊ” (Programação Complementar)
Escola Municipal de Teatro – Núcleo Jovens – Três Lagoas/MS
Local: Anfiteatro da UFMS – Unidade I                        Gênero: Pós-dramático
Direção: Leandro Cazula e Cristovam Henrique Classificação: 16 Anos
Elenco: Aline Higa, Darcylene Ervely, Felipe Citro, Guilherme Lemes, Jajá Ribeiro, Natália Torres, Evelly Vitória, Guilherme Massuchini, Larissa Shymaiank
Sonoplastia: Cristovam Henrique                       Iluminação: Leandro Cazula
Figurino:
O Grupo                                             Maquiagem: O Grupo
Duração: 60 Minutos

Release: O Núcleo Jovens, da Escola Municipal de Teatro, e Grupo de Teatro Identidade iniciaram as atividades em abril de 2012 com oficinas de iniciação e formação teatral. No segundo semestre, deram início ao estudo da peça “Espetáculo de Você” de Raquel Catunda Pereira. A Autora Raquel Catunda Pereira (2011) não faz questão de delinear crucialmente as características dos personagens. A história se inicia com o narrador fazendo perguntas que nos fazem refletir e pensar imediatamente em uma resposta sobre o assunto em pauta, que incialmente é a Arte. Pereira demonstra uma valorização com os espectadores, como se eles também fizessem parte do espetáculo.
Sinopse: Na peça teatral “Espetáculo de você”, as cenas iniciais há um grupo de atores mascarados inseridos na plateia que ao toque do sino se manifestam e caminham em direção ao palco eles são direcionados com o badalar. Durante o espetáculo, as perguntas são traçadas diretamente aos expectadores provocando desconforto e em “Espetáculo de você” o desejo da ação atribuída à fala e à escuta é tão presente que parece, inclusive, borrar as dimensões de autor e diretor, na medida em que Raquel Catunda Pereira, ao escrever, também dá todas as dimensões da construção cênica; material, espacial e sonoramente.


  • QUINTA-FEIRA – 15/11
15h
“UTABELINQUES” (Módulo Fomento)
Cia de Teatro UTA – Salto de Pirapora/SP
Local: Anfiteatro da UFMS – Unidade I                        Gênero: Infantil
Direção: Jane Kastorsky                                              Classificação: 4 Anos
Elenco: Diai Rodrigues, Eliza Santana, Laís Quilles, Leandro Freitas, Midiã Souza, Rômulo Guerra, Soraya Santana, Thaynara Souza, Wesley Fóes, Yara Batista
Iluminação: Felipe Norris                          Cenário: Dorival De Souza
Figurino Aurea Almeida E Jane Kastorsky         Duração: 60 Minutos

RELEASE: Utabelinques – são histórias da Cia. de Teatro “Uta” misturadas às histórias lidas e adaptadas pelo grupo, da consagrada escritora – Tatiana Belinky.  Nhô Totico e Nhô Bentico – personagens fictícios construídos a partir da imagem do homem do campo e do universo “clownesco”, brincam com expressões utilizadas por nossos avós e algumas que permanecem entre nós até os dias de hoje. “O orgulho de ser caipira” é representado através de Teatro de Animação, Cururu, Catira entre outros elementos deste MUNDÃO ABERTO SEM PORTEIRA.
SINOPSE: Utabelinques – são histórias da Cia. de Teatro “Uta” misturadas às histórias lidas e adaptadas pelo grupo, da consagrada escritora – Tatiana Belinky.  Nhô Totico e Nhô Bentico – personagens fictícios construídos a partir da imagem do homem do campo e do universo “clownesco”, brincam com expressões utilizadas por nossos avós e algumas que permanecem entre nós até os dias de hoje. “O orgulho de ser caipira” é representado através de Teatro de Animação, Cururu, Catira entre outros elementos deste MUNDÃO ABERTO SEM PORTEIRA.

20h30min
“TRAVESSIA”
Grupo Tecelagem – São Paulo/SP
Local: Anfiteatro da UFMS – Unidade I                        Gênero: Solo Narrativo
Direção: Paulo Williams                                               Classificação: 14 Anos
Elenco: Paulo Williams, Paulo Timbé, Thiago Rodrigues
Iluminação: Marcus Alem                         Cenário: Raico de Aquino
Figurino: Lelo de Souza                            Duração: 60 Minutos

RELEASE: Nesta adaptação, o Universo de Guimarães Rosa sai do campo das letras para estimular nossa memória.  Baseado nos contos reunidos em “Sagarana” e “Primeiras Estórias”, o espetáculo aborda a experiência de um vaqueiro que parte levando uma boiada, em uma travessia pelo sertão. No meio da travessia, vai contando suas estórias, seus medos, suas dores, seus amores. Segundo Guimarães Rosa, o sertão é o símbolo do Universo, “O sertão é o terreno da eternidade”, diz ele. “O sertão é dentro da gente”. É no sertão que se depara abertamente com os paradoxos desse universo, com seus mistérios traduzidos em realidade.  Na definição que Guimarães tem de homem do sertão cabem muitos exemplos: Goethe, Dostoievski, Tostói, Balzac, todos “nasceram do sertão” porque conhecem os vazios da alma, os descampados do mundo, a profundidade da solidão humana. O ator e diretor Paulo Williams foi buscar nesta fonte os elementos com os quais construiu o espetáculo Travessia. Para ele, o espetáculo “Travessia” tem sido uma descoberta, uma porta.  Desde a pesquisa, a seleção dos contos de Guimarães Rosa, a atmosfera de suas estórias, a aridez de seus personagens, e a transposição do profano ao sagrado, toda a composição do espetáculo busca refletir a estética do autor, a mistura entre o erudito e popular que se expressa na sonoridade do espetáculo. Segundo Paulo Williams, o grupo buscou uma linguagem de encenação que pudesse servir de ponte entre a obra de Guimarães Rosa e o trabalho do ator. O teatro narrativo foi o caminho encontrado desde os objetos cênicos ao corpo do ator.
SINOPSE: Baseado nos contos reunidos em Sagarana e Primeira Estórias, obras do escritor GUIMARÃES ROSA, “Travessia” é um monólogo que se desenvolve a partir da narrativa de um contador de causos. A estória se ambienta no sertão de Minas Gerais, de onde um grupo de vaqueiros parte para uma travessia conduzindo sua boiada. A paisagem do sertão se revela como a metáfora do mundo, do infinito tornando-se a extensão do universo natural, e o boi como o símbolo do homem, da terra. O espetáculo transita no universo da oralidade, dos ritos, das cantigas e tradições, encontrando nesses elementos a força do sagrado.

  • SEXTA-FEIRA – 16/11
20h30min
“A IGREJA DO DIABO”
Cia Teatral Boccaccione – Ribeirão Preto/SP
Local: Anfiteatro da UFMS – Unidade I               Gênero: Comédia
Direção: João Paulo Fernandes                          Classificação: 16 Anos
Elenco: João Paulo Fernandes - Pastor, Ancião, Monge, Prostituta 1, Muçulmano/ Michel Massom - Diabo, Monge/  Edevilson Juri - Servo do Diabo 1 / Marcelo Ribeiro - Servo do Diabo e Velha / Nayla Faria - Possuída, Anjo 1, Livro da Substituição, Prostituta 3, Cardeal / Nathália Fernandes - Sambista, Anjo 2, Mandame, Prostituta 2, Padre / Naná Bertchelly - Anjo 3, Jerusa, Cafetina, Judeu / Diego Freiria - Deus, Cavalheiro e Monge
Sonoplastia: O grupo                                Iluminação: Iana Montanha
Cenário: João Paulo Fernandes                Maquiagem: Nathália Fernandes
Figurino: Zezé Cherubini / João Paulo Fernandes      Duração: 60 Minutos

RELEASE: Cansado de ser desorganizado, de ficar com as circunstanciais sobras das diferentes manifestações de fé, o Diabo tem a ideia de fundar uma Igreja e organizar o seu rebanho. Após comunicar Deus de seu futuro ato, volta à Terra e com muito sucesso faz a igreja que idolatra os defeitos humanos.
SINOPSE: Cansado de ser desorganizado, de ficar com as circunstanciais sobras das diferentes manifestações de fé, o Diabo tem a ideia de fundar uma Igreja com a promessa do paraíso na própria Terra. Sua religião corre aos quatro cantos do mundo e sua previsão de que as virtudes cairiam por terra se confirma. Mas, aos poucos, os homens vão exercitando virtudes, e o tiro sai pela culatra, pois para cada maldade realizada pelos seus adeptos, havia uma bondade praticada. Furioso, o Diabo vai falar com Deus, que dá o ultimato: maior que qualquer religião é a contradição humana.

  • SÁBADO – 17/11
10h
“CIRCULANDO” (Módulo Fomento)
Gentalha Grupo de Teatro – Penápolis/SP
Local: Feira Diurna – Av. Rosário Congro           Gênero: Teatro de Rua
Direção: Rodrigo Matias                                              Classificação: Livre
Elenco: Rodrigo Matias e Fátima Pessoa
Sonoplastia: Thaisa Fernanda                  Iluminação: O grupo
Cenário: O grupo                                      Figurino: O grupo
Maquiagem: O grupo                                Duração: 60 Minutos

Release: A Gentalha Cia. de Teatro formou-se em meados do ano de 2009 pelos atores Rodrigo Matias e Fátima Pessoa. Atores que tiveram sua iniciação teatral através do Núcleo Municipal de Teatro da Prefeitura de Penápolis-SP, coordenado e dirigido pelo ator e diretor Luis Carlos Colevatti, passando posteriormente à Cia. Pano de Fundo, companhia do próprio Colevatti, onde puderam seguir sua pesquisa e desenvolvimento de forma mais aprofundada. O primeiro espetáculo da Cia., o infantil “Vou contar pra mãe!” estreou em junho de 2010, e o segundo, Circulando, que acontece na rua, estreou em fevereiro de 2012. O grupo busca estreitar a distância entre público e o artista. Por se tratar de um grupo do interior, a Gentalha se preocupa também com a responsabilidade que o artista, principalmente aqueles distantes dos grandes centros urbanos, têm de trabalhar favorecendo a formação de público, aproximando todos do fantástico mundo das artes cênicas.
Sinopse: Espetáculo de rua da Gentalha Cia. De Teatro que se utiliza da linguagem do circo-teatro para mostrar a realidade de Doni e Bininha, um casal de palhaços que após o fechamento do circo onde trabalhavam, se vêm obrigados a se aventurar por novos caminhos, inclusive às ruas, na busca da redescoberta de sua arte e sua relação com o público.

20h30min
“TERRITÓRIO BANAL”
Companhia Azul Celeste – São José do Rio Preto/SP
Local: Anfiteatro da UFMS – Unidade I                        Gênero: Discurso Opereta
Direção: Jorge Vermelho                                              Classificação: 14 Anos
Elenco: Kelly Simão, Gerrah Tenfuss, Alexandre Manchini e Ronaldo Celeguini
Iluminação: Jorge Vermelho                              Cenário: Jorge Vermelho
Figurino: Luis Rossi                                           Maquiagem: Jorge Vermelho
Duração: 60 Minutos

RELEASE: A escolha de um texto que analisa, questiona e entrecorta o próprio teatro vem ao encontro do interesse do grupo no seu universo de investigações, questionamentos e autocríticas – enquanto coletivo de artistas – e de cada um dos seus integrantes em busca de um teatro verdadeiro, íntegro e transparente.
Também por se tratar de texto inédito de Marici Salomão - dramaturga brasileira, contemporânea - outra tendência do grupo.
SINOPSE: A peça tem como tema o próprio teatro. A história, além de abordar assuntos pertinentes ao próprio universo da criação, é pontuado pela reflexão sobre a representação, a hipocrisia e a distância entre o discurso e a prática.

  • DOMINGO – 18/11
15h
“A COR SILVA”
Cia Cênica – São José do Rio Preto/SP
Local: Anfiteatro da UFMS – Unidade I                        Gênero: Fábula Caipira
Direção: Fagner Rodrigues                                 Classificação: 4 Anos
Elenco: Roberto Brito, Vanessa Palmieri, Neto Chiacchio
Sonoplastia: Zé Maria Guirado E Márcia Morelli
Iluminação: Fagner Rodrigues                           Cenário: O Grupo
Figurino: Linaldo Telles                                               Maquiagem: O grupo
Duração: 60 Minutos

RELEASE: A COR SILVA é um espetáculo para todas as idades, emocionante, vivo e nativo. Fala sobre a vida e obra do pintor José Antônio da Silva, militante da arte em São José do Rio Preto, precursor da arte Naïf e reconhecido mundialmente.  Desenvolvido pelo dramaturgo Homero Ferreira e pelo diretor Fagner Rodrigues é o mais recente trabalho da Cia. Cênica que em 2012 completou seis anos de existência, buscando sempre realizar um trabalho popular na sua possibilidade de intervenção comunicativa e cultural. A COR SILVA, foi contemplado pelo Programa Municipal Nelson Seixas de Fomento a Produção Cultural de São José do Rio Preto - SP no ano de 2010.
SINOPSE: Na noite em que a realidade parece estar diferente o velho Silva passeia por sua história relembrando as coisas belas de sua infância simples na roça, contando sua paixão pelas cores e seu encontro com a arte de pintar num delírio poético que antecipa a criação de uma nova cor, a cor Silva. Nessa viagem ele contará com a ajuda de seus leais cães, Zé Bedeu e Fidalga que darão vida aos personagens dessa fábula caipira.

20h30min
“ORÉGANO”
Cia Hecatombe – São José do Rio Preto/SP
Local: Anfiteatro da UFMS – Unidade I                        Gênero: Neogrotesco
Direção: Homero Ferreira                                             Classificação: 14 Anos
Elenco: Alexandre Manchini Jr., Bruno Cavalcanti, Clarissa Maria, Jaqueline Brambilla
Sonoplastia: O Grupo                               Iluminação: Luis Fernando Lopes
Cenário: O Grupo                                     Figurino: O Grupo
Maquiagem: Márcio Merighi                     Duração: 60 Minutos

RELEASE: Orégano é uma casa com muitas perguntas, mas curiosamente sem qualquer resposta. Mãe, pai e filhos vivendo em um lar completamente destruído pela violência que vai além da violência em si. Discursos vazios de sentido, estruturas ocas, que são palavras no ar das quais ninguém é responsável. Rupturas de comportamento que nos permitem viajar pelo interior das personagens, fazendo um raio-x de suas fragilidades e de suas fraturas expostas, literalmente. O espetáculo apresenta um panorama neogrotesco de uma família imersa no mais profundo fracasso.
SINOPSE: Uma família imersa no mais profundo fracasso. Uma mãe que não suporta a passagem do tempo e que concorre constantemente com sua filha. Ela esconde um segredo do qual nem ela mesma se lembra sobre a real identidade de cada um em sua casa. Uma filha em busca de responder perguntas sem respostas. O conflito de um filho sobre sua sexualidade que se torna divertido pela ingenuidade que o caracteriza. E um pai cuja ausência é mais forte que a presença.

0 comentários:

Postar um comentário