Três Lagoas recebe Big Band da Orquestra Jovem Tom Jobim







Neste sábado, 04/12, as 20h30min, no ANFITEATRO DA UFMS - Unidade I, receberemos uma grande atração musical, no caso uma orquestra com um belíssimo concerto, em que gostaria de compartilhar o convite desta apresentação, com ENTRADA FRANCA.

Com regência de Roberto Sion, grupo faz homenagem ao Dia Nacional do Samba em apresentação na UFMS

A Big Band da Orquestra Jovem Tom Jobim realiza um concerto gratuito no próximo sábado (04), no auditório da Universidade Federal de Mato Grosso Sul (UFMS) campus I, às 20h30, para homenagear o Dia Nacional do Samba, celebrado em 2 de dezembro.

O grupo escolheu um repertório que traz canções de nomes consagrados como Noel Rosa, Zé Kéti e Dorival Caymmi. Completam o programa standars do jazz como Moonlight Serenade, de Glenn Miller.

Com regência de Roberto Sion, a apresentação promete ser uma viagem musical entre os dois gêneros típicos dos Estados Unidos e Brasil. Para abrir o concerto foram escolhidos clássicos como Nem Eu, de Dorival Caymmi, A Voz do Morro, de Zé Kéti e Palpite Infeliz, de Noel Rosa, composta em 1931, época em que o compositor competia com Wilson Batista e compunha sambas agressivos e bem-humorados. Em seguida, os músicos executam diversos standars de jazz, como Sophisticated Lady de Duke Ellington, entre outros.

Orquestra Jovem Tom Jobim
Formada por 50 músicos bolsistas, a Orquestra Jovem Tom Jobim tem como objetivo o resgate de obras tradicionais de grandes compositores brasileiros, com especial dedicação à obra de Tom Jobim, à pesquisa e experimentação musical. Sua formação alia as sonoridades e a expressividade da orquestra sinfônica (cordas, madeiras e metais) com a força e o balanço da seção rítmica (piano, contrabaixo elétrico, guitarra, bateria e percussão), proporcionando-lhe uma enorme versatilidade estética. A Orquestra se apresenta com frequência com artistas de diferentes estilos da MPB, entre os quais estão Elza Soares, Paula Lima, Chico Pinheiro, Quinteto em Branco e Preto, Germano Mathias, Dominguinhos, Claudette Soares, Alaíde Costa, Nelson Ayres, Heraldo do Monte, Arismar do Espírito Santo, Maurício Einhorn, Arrigo Barnabé e Zimbo Trio. O grupo faz parte da Tom Jobim – Escola de Música do Estado de São Paulo (EMESP), do Governo de São Paulo sob gestão da Santa Marcelina Cultura, Organização Social ligada à Secretaria de Estado da Cultura. Tem patrocínio da CTEEP – Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista e apoio institucional do Ministério da Cultura, por meio da Lei Rouanet.

Roberto Sion – regente titular
Um dos mais atuantes e respeitados nomes da música instrumental brasileira, Roberto Sion, além de saxofonista, flautista e clarinetista, é reconhecido pelo trabalho de compositor, arranjador, maestro e professor. Foi vanguardista na utilização sinfônica de elementos do jazz e da música brasileira, em um estilo que se tornou sua marca registrada. Iniciou-se ao piano com cinco anos e aos oito com o saxofone, clarinete, solfejo, harmonia e canto coral no Conservatório Lavignac, de Santos. Estudou na Berklee School of Music e se aperfeiçoou no saxofone com Joseph Viola, Ryo Noda, Lee Konitz e Joe Allard. Desenvolveu e aprimorou a carreira de compositor e arranjador e estudou análise e composição com Damiano Cozzella, Olivier Toni, Willy C. de Oliveira e H. J. Koellreutter. Músico atuante desde os 11 anos, Roberto Sion tem em seu currículo sete álbuns e apresentações como solista nos Estados Unidos, Japão, Israel e em vários países da Europa. Desde 1998, atua na Tom Jobim EMESP como professor de Prática de Big Band e, mais recentemente, como regente titular da Orquestra Jovem Tom Jobim.

0 comentários:

Postar um comentário